Série “Como Publicar”

Nesta edição da série “Como Publicar”, abordaremos a divulgação de um livro no cenário atual. Em tempos digitais, encolhem as formas tradicionais de divulgação.  O Globo, principal jornal do Rio de Janeiro, encerrou seu caderno de literatura.  Por outro lado, crescem de forma exponencial novas formas de se promover uma publicação.

Como é a proposta da série, partiremos da forma como a Multifoco aborda o mercado editorial – ou seja, da nossa experiência e do nosso “modus operandi” – para elaborar os comentários.

 

Como divulgar meu livro?

Como dito no primeiro artigo da série, a Multifoco desenvolveu e continua desenvolvendo um sistema de publicação inclusivo. Isto é: nossa primeira missão é possibilitar que os mais diversos editores façam as apostas mais diversas. Uma das premissas desta aposta é uma estratégia enxuta de produção. Isso possibilita o lançamento dos livros – mas, como muitos autores já sabem, não resolve e não resolveu até aqui os problemas essenciais de divulgação.

Isto se dá por vários motivos. O primeiro deles é que, se a empresa tem um modelo enxuto de publicação, é de se esperar que a divulgação seja feita seguindo a mesma orientação. Mais ainda: se a empresa tem milhares de títulos, como determinar suas prioridades? Este é um problema a ser resolvido pela Multifoco. E será ainda maior se pensarmos o marketing de forma tradicional, já que as mídias tradicionais são ocupadas por anúncios ou assessorias de imprensa – hoje são raros, se é que existem, os repórteres que saem em busca de notícias.

Por outro lado, nunca foi tão grande (e não para de crescer) o número de blogs, sites, canais de vídeo e perfis de redes sociais dedicados aos mais variados assuntos e nichos. Como disse certa vez um dos fundadores do YouTube, não é culpa dele se os usuários preferem ver a si mesmos do que a maior parte do conteúdo produzido pelas tvs convencionais. Ou seja: para tratar de divulgação de forma eficiente, a Multifoco não poderá prescindir da parceria de seus autores.

Produzir e publicar na web é certamente umas das melhores maneiras de divulgar um trabalho ou um livro.

Produzir e publicar na web é certamente umas das melhores maneiras de divulgar um trabalho ou um livro. Vejam o exemplo de nossa autora Maria Inês Delorme. Professora da Faculdade de Pedagogia da UERJ, Maria Inês publicou dois livros pela Multifoco : Domingo é dia de felicidade e Prata da casa .

Sua mais nova empreitada é o blog Papo de Pracinha, em conjunto com a também educadora Angela Borba. No blog, Maria Inês, Angela e outros colaboradores discutem temas comuns a avós e mães, em relação ao desafio de educar crianças.  Vale pena conhecer o trabalho que vem sendo feito com capricho e carinho.

Mas o ponto aqui é que o  Papo de Pracinha. Ao falar para um público irrestrito e por vezes surpreendente, colabora também para a formação de leitores para as obras de Maria Inês. Visitantes do blog que se identificam com o conteúdo tornam-se leitores em potencial de outras obras produzidas pela autora. O blog também pode se mostrar um espaço mais livre para experiência e troca. “Empodera” os leitores, se tornando um importante guia para o autor e mesmo a semente de novos projetos de publicação. É uma ação valiosa que o autor faz com pouco investimento, além do seu valioso trabalho.

Tão importante quanto ser atuante online é conhecer outros formadores de opinião na web.

Para um autor, tão importante quanto ser atuante online é conhecer outros formadores de opinião na web, que se comunicam com público similar àquele que se pretende atingir com seu livro. Hoje são milhares, talvez milhões, de “influenciadores” na web brasileira que, com posts em seus perfis de redes sociais, canais de vídeo, etc., têm o poder de chamar a atenção de toda uma comunidade. Se o autor descobrir em que canais divulgar o seu livro, terá uma grande oportunidade de conseguir falar diretamente para o seu público.

Isso é pode ser ainda mais fácil e direto quando sua atuação profissional tem relação com o livro. Ou quando você cria novas relações profissionais a partir da sua publicação. Um primeiro exemplo é o de Vítor Isensee, compositor e tecladista da banda Forfun, Vítor é autor de  Vivas Veredas. Trata-se do livro de poesia mais vendido da empresa. Verdade que muitos de seus poemas são divulgados pelas canções. Porém, Vítor mistura as duas empreitadas, sempre levando seus livros para shows e turnês. Um exemplo do segundo caso, é dado pelo poeta Bruno Borja. Professor de Economia na UFRRJ, Bruno fez também da poesia profissão. Autor dos livros  Em cada esquina e Versos Vermelhos, Borja é muito atuante.  Ministra oficinas de poesia, participa de grupos de leitura e todo esse engajamento se reverte em uma obra mais divulgada e vendida.

Aplicações de divulgação

Pensando justamente em mapear e catalogar esses “influenciadores”, a Multifoco lançará sua próxima ferramenta exclusiva. Um app em nosso site onde blogs, perfis, sites, etc., poderão se cadastrar para receber nossos títulos, de acordo com seu perfil de atuação e relevância. Também nossos próprios autores poderão indicar à Multifoco quais os blogs mais interessantes para a divulgação de suas obras. Em breve.

A Multifoco paga por resenhas do seu livro

Outra ação que adotamos é o estímulo a reviews e resenhas em nosso site. Os reviews de nosso site podem também ser compartilhados nas principais redes sociais. Por este motivo oferecemos um vale compras no valor de 25 reais para qualquer resenha publicada em nosso site. Saiba mais clicando aqui.

Comments

  1. DEVAIR MÓDOLO

    Só gostaria de saber porque todo o texto no site é elaborado em lingua portuguesa e depois vocês concluem com essas informações em inglês. Será que já vivemos num país multilingue e a nação ainda não foi informada? Se trabalhamos com um idioma específico, numa nação essencialmente de língua portuguesa, não consigo compreender onde está o mérito em se “contamina-la” com verbetes, palavras ou ideias inglesas, obscuras para a grande maioria da nação, .

    • Leonardo Simmer

      Olá Devair,

      Você tem razão. Ainda não conseguimos traduzir a plataforma do nosso blog. De todo modo não somos nós que colocamos as palavras ali e elas não são fundamentais para compreensão do texto. De todo modo agradecemos pelo toque! Abs

    • A explicação para esta dúvida é que a ideia primordial da Editora é levar o livro publicado por seus autores além das fronteiras de nosso país,e isto nos será benéfico,a não ser que você queira limitar sua obra a uma nação que ainda pouco valoriza a leitura.

  2. Fernando Carlos Farah

    Gostei da publicação. Fica o registro aqui, que considero poesia algo além do tempo e do espaço e sua divulgação se dá muitas vezes por meios insondáveis. Não deve ser tratada como mercadoria manufaturada, mas sim como obra de arte – pertencente a uma voz autoral.

    Grande abraço!

    • Leonardo Simmer

      Caro Fernando,

      Queremos mais poesias e arte circulando como você e para isto temos que tornar este processo mais fácil e eficiente. Entendemos e respeitamos usa visão, mas nossa missão é deixar a sua disposição ferramentas para aumentar o alcance da obra. Seguimos tentando. Abs

  3. Saudações!

    Creio que o texto não abrange o prometido na mensagem de abordagem. Não há nenhuma dica relevante, não atinge ao objetivo proposto.

    As portas sempre estão fechadas aos autores, a não ser que consigam “indicações” ou uma prévia “popularidade”…

    abraço!

    • Leonardo Simmer

      Cara Prista,

      Obrigado pelo comentário. Como dissemos no início da série, os textos não buscam dar aos autores dicas ou “receitas de bolo”, mas refletir sobre os problemas e possíveis soluções para o nosso mercado. O importante no texto é entender que pretendemos criar mecanismos que permitam uma divulgação colaborativa, ou seja de alguma forma este modelo sempre precisará do autor. Não esperamos popularidade prévia. A maior parte das pessoas que são populares hoje um dia não foram. Abs.

    • Leonardo Simmer

      Oi Lucia,

      Obrigado pelo contato. Este texto é apenas uma introdução. Pretendemos realizar mais ações como cursos, palestras, além da criação de novas ferramentas.

      Abs

  4. Ercilia Pollice

    Não tenho web site.
    Tenho um blog” Detalhando a Vida, mas sem tempo de entrar lá.
    Gostaria de ter um local para indicar às pessoas, onde pusesse textos meus, além do wwwplenamulher.com.br e http://www.ptnetliteratura.pt
    Escrevo muito em minha página no Facebook, mas as coisas se perdem muito rapidamente com as postagens diárias.
    Um abraço e grata pelo interesse da Editora com seus autores
    Ercilia Pollice

  5. Olá. Sou autor da editora multifoco, gênero poesia, e tenho uma obra publicada pela mesma. Não viso lucro nem sucesso,
    apenas desejo ser consumido (LIDO) pelo povo. Não possuo website, somente twiter. Nada mais a acrescentar. Abs.

    Luciano Turner

  6. Paulo Caggi

    Leonardo bom dia
    Como autor novato tenho pouco conhecimento dos meios de divulgação de meu Livro, lançado recentemente pela Multifoco.
    Meus canais se limitam ao meu Facebook e Linkdin, mas o retorno é praticamente nulo!
    Não possuo blog, nem ao menos sei como construir um!
    Parabéns a editora pela iniciativa que em muito contribuirá para sucesso de todos nós!
    Toda dica e ajuda serão sempre bem vindas.
    Sds
    Aguardo retorno.
    Caggi

    • Leonardo Simmer

      Caro Paulo,

      A ideia é que possamos desenvolver metodologias e aplicativos que facilitem a vida do autor. Continuaremos nesta linha.

      Obrigado pelo retorno.

      Leonardo

  7. Prezado Leonardo Simmer, publiquei recentemente um livro pela Multifico: De amor e de luto. Para divulgá-lo e continuar a publicar sobre o tema, criei uma página no FB com o mesmo nome. Lá divulguei o livro, inclusive em um anúncio pago. Fui também convidada para visitar um grupo onde fui atendida e levei o livro porque acho que pode ajudar outras pessoas na mesma situação que eu. O que mais me sugere?
    Uma coisa que me decepcionou um pouco foi que me disseram que o livro seria vendido no site da Multifoco e nos da Travessa e da Livraria Cultura, mas pessoas amigas que tentaram comprá-lo lá não conseguiram. Fica muito restrito só vender no site da Editora. .
    Cordialmente,
    Maria Lucia

    • Leonardo Simmer

      Cara Maria Lucia,

      Você tem razão. Seu livro ainda não está disponível nos sites da cultura e travessa. Verifcaremos e solucionaremos o problema.Sobre a divulgação do mesmo, é muito importante que você consiga a colaboração de pessoas ou sites já engajados no nicho de público a que se destina seu livro. Pagas anúncio no facebook é importante, mas deve ser parte de uma estratégia. Vamos em breve organizar um encontro para tratar disto com os autores interessados.

      Abs e obrigado pelo comentário.

      • Obrigada pela resposta, Leonardo. Ficaria grata se tentasse realmente resolver isso e me avisasse, para que eu pudesse colocar essa informação na página. Houve pessoas também que compraram pelo site da Multifoco e ainda não receberam. Sugeri que entrassem e contato por telefone pata saber o que houve.

        Cordialmente,

        Maria Lucia

  8. Jailton Dias

    Adorei o texto, em breve pretendo lançar meu segundo livro, até agora estou sem editora, por que o primeiro ainda não esta em livrarias, como faço para lançar uma obra em livraria?

  9. Leonardo Simmer
    Fiquei feliz por acabar de ler o seu email agora!
    Estou há dias procurando escrever para a Sociedade Brasileira de Pediatria (desde o Congresso, no Rio Centro, no início de outubro) quando deixei um livro “Conversando com o Bebê” com eles, para que pudessem me ajudar na divulgação. Hoje consegui!
    Tenho a página, onde deixo espaço para a entrada direta na Multifoco (para compra) e os áudios (onde leio trechos do livro – é só clicar na frente da página)
    Estou enviando o email que enviei hoje para a Sociedade (SBP).
    Aceito sugestões para divulgação.
    Aguardo seu retorno.
    Eliane.

    Rio de janeiro, 21 de novembro de 2015
    À Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP)
    Solicito orientação sobre o procedimento necessário para tornar o livro “Conversando com o Bebê” acessível à quem possa interessar.
    Para que o livro tenha um amplo espectro de atuação, precisa ser devidamente distribuído. Com a minha atividade como Pediatra, não possuo condições de fazer este tipo de divulgação.
    Trabalho com pessoas carentes, não só socialmente, como também emocionalmente e necessitadas de informações. Quando menciono o livro como meio de esclarecimento e apoio, observo o interesse real. Porém não possuo o livro físico para contemplá-las. Os poucos exemplares que consegui produzir na Editora Multifoco, com a revisão ortográfica atual, são frutos de muito esforço e custos além das minhas possibilidades, através da ajuda de familiares.
    Utilizei fotos pessoais como ilustrações, por não precisarem de autorização. Admito tais recursos visuais necessários não só ao esclarecimento como também incentivo ao interesse e à adesão aos conceitos e sugestões relatados.
    Coloco-me à disposição para maiores esclarecimentos que se fizerem necessários.
    Grata desde já,

    Dra. Eliane Turano Monteiro de Castro Torres

    Pediatria / Homeopatia CRM 52 37084 1 CPF: 264113267 20
    Matrícula SBP: 120628 E-mail: papilio@uol.com.br
    Web Page: http://www.conversandocomobebe.com.br

    Objetivo do livro “Conversando Com O Bebê”
    A intenção primordial da criação deste livro é para que ele seja utilizado como um esclarecimento de situações rotineiramente não ensinadas no trato de bebês.
    Apresenta a interação entre bebês e adultos, exercida pela expressão verbal do sentimento dos bebês.
    “Conversando Com O Bebê” expõe a comunicação verbal de um bebê com sua mãe, pai ou responsável, sobre situações de dificuldades comuns ao seu estágio de vida, com uma linguagem falada direta e compreensível, pela exploração da intuição e sensibilidade do ser humano.
    Visa à saúde de pais e filhos e prevenção de doenças ou dificuldades evitáveis, através da melhora da comunicação.
    A sugestão de um diálogo do bebê com o adulto intenta promover, proteger, esclarecer e estimular as comunicações inteligentes.
    O maravilhoso e extraordinário poder de persuasão que os bebês possuem, modifica a vontade dos adultos de permanecerem imóveis, sem curiosidade ou estagnados em antigas verdades.
    Não se trata de interpretação e sim da compreensão de uma linguagem que ainda não foi verbalizada. Pode surgir em vários idiomas diferentes, exprimindo a mesma verdade – as necessidades de um ser em desenvolvimento.
    “Conversando Com O Bebê” é o contato íntimo com o bebê apresentando todas as suas carências, incompreensões e aspirações, através de uma visão holística, pouco observada pelos adultos, respeitando-o em uma das fases mais questionadas do ser humano e dificilmente compreendida, devido à inexistência da comunicação oral tradicional.

  10. Celamar Maione

    Leonardo Simmer,

    já possuo um Site no Facebook para divulgar meu livro Conversando Com o Espelho. Ele está na Site da Cultura e ontem ” descobri” , por acaso, que ele estava disponível em todas as lojas da Cultura, com o aviso : ” Este produto pode ser retirado em loja”.
    Ou seja, fiquei na dúvida : ele está sendo vendido diretamente nas lojas ? Gostaria de saber para poder divulgar no Site. Muita gente pergunta sobre as vendas diretamente nas Lojas físicas.
    Pode me tirar a dúvida ?
    Abs,
    Celamar Maione

    • Leonardo Simmer

      Celamar,

      Muito boa a iniciativa do site. Sobre o livro estar disponível na Cultura: com o crescimento da empresa, estamos também desenvolvendo nosso setor gráfico e estamos muito mais flexíveis com os pedidos de consignação das livrarias. Diferente do que fazíamos antes, quando só trabalhávamos por venda, já que era impossível consignar e ter uma operação lucrativa, agora temos conseguindo atender também aos pedidos de consignação, sempre dentro de uma cota pré-determinada. Não tenho como saber do seu caso específico, mas se a cultura diz que está nas lojas é porque tem os livros em estoque, pelo menos em uma de suas lojas. As compras feitas pela cultura são descentralizadas e como consignamos geralmente dentro de um limite, é pouco provável que haja o livro físico em todas as lojas. A distribuição de livros será o tema do nosso próximo post e lá poderei me estender mais. Conto com sua leitura. Abs

  11. Maria Lucia Seidl de Moura

    Olá, Leonardo,
    Alguma notícia sobre a venda de meu livro De amor e de luto na Cultura, sobre o que falamos há alguns dias?
    Um abraço,
    Maria Lucia

  12. Anisio Salvatini da Silva

    Em 2013 tive o livro “Uma Vida, Vários Caminhos” editado pela Multifoco. Porém, até o momento nunca recebi qualquer informação da Editora sobre o que acontece com o livro: nem se está disponível no site da editora, livrarias, Amazon, nada, nenhuma informação! A impressão que me fica é que a Multifoco é mais uma gráfica comercial, apenas imprimindo sob encomenda, sem o menor trabalho/comunicação com os autores. Aliás, estou cometendo um erro: vez ou outra tenho recebido e-mails da Multifoco querendo vender meus livros a mim mesmo.
    Poderiam me informar a quantas anda a divulgação/venda do meu livro?

    Salvatini da Silva

    • Leonardo Simmer

      Caro Anísio,

      De fato precisamos melhorar a comunicação e investiremos bastante nisso nos anos vindouros. Todos os nossos livros são enviados para cadastro nas redes Cultura e Travessa e os autores avisados disso na contratação. A amazon utilizamos apenas para venda de e-book, em parceria recente com a bookwire. Dito isto, é preciso que se entenda que a Multifoco existe há quase 10 anos e apenas nos últimos 3 destes anos contou com gráfica própria. Isto é, passamos a existir bem antes de termos uma gráfica. Nós vendemos livros, os livros são feitos em gráficas e ter uma gráfica própria é o que viabiliza a distribuição em nosso modelo (uma grande vantagem). Conheça nossa estrutura e você poderá verificar que a menor parte dela é dedicada hoje a atividades gráficas, que se limitam a livros, mas pensamos em expandir mais no futuro.

      O modelo proposto pela Multifoco é o modelo de parceria: os autores fazem parte da nossa rede de divulgação e distribuição, e nossa obrigação é estruturar esta rede, não um ou outro livro especificamente. Isto é o que permite a diversidade de títulos e a capacidade de lançar trabalhos que não seriam lançados por outras editoras. Leia mais em http://editoramultifoco.com.br/blog/serie-como-publicar-editores/

      Essa parceria implica permitir que os autores comprem seu livros pelo melhor preço possível, seja para divulgação, seja para presentear amigos, seja para ter uma maior lucratividade. De todo modo estamos abertos a sugestão para disvulgação dos mais de 2500 títulos em catálogo até o momento.

      Agradecemos pela leitura e esperamos ter esclarecido alguns pontos.

  13. FLAVIO JUAREZ FEIJO

    Estou vivendo duas situações no mercado editorial. Meu primeiro livro, um de ficção intitulado “O diabo do advogado”, foi publicado em 2015 pela Editora Chiado, desde que eu comprasse 250 exemplares. Hoje ele está disponível em alguns sites da internet, mas o problema é repassar o meu estoque, que não baixou nem 20% sendo presenteado a parentes, amigos e colegas. A grande questão é como divulgar e acessar as livrarias.
    O segundo livro, um documentário chamado “1946”, tem proposta de publicação nos mesmos moldes, mas se aceitar vou esbarrar na mesma dificuldade de divulgação e de comercialização da minha quota.

    • Leonardo Simmer

      Olá, Flávio! Não acreditamos que um modelo que impõe uma cota de livros o autor seja indicado em nenhum caso. Os projetos editoriais são diferentes entre si, seja pelas ambições do autor, pelo tipo do livro, ou para o segmento de público a que o livro é destinado. Neste sentido, fica uma dica, nunca comece um projeto editorial comprando uma cota de livros, sobretudo se está conta não for a sua demanda imediata para o lançamento ou divulgação. É importante que o autor sedimente sua carreira de muitas formas e as vendas dos livros será certamente uma consequência disto. Não o contrário.

      Em breve lançaremos um artigo sobre distribuição onde explicaremos também a lógica das livrarias, que assim como a multifoco, estão cada vez mais trabalhando por demanda.

      Abs

      Leonardo Simmer

  14. Rafael Matsumi

    Olá Editora Multifoco. Estou com uma pequena dúvida.
    Atualmente estou escrevendo um livro, e ainda não o finalizei, vi que vocês possuem um tipo de filtro para ver os livros que desejam, mandando eles em arquivos Word. Mas indo a minha pergunta: Devo mandar o livro inteiro ou apenas alguns capítulos?
    Agradeço pela atenção, vocês fazem um belo trabalho.
    Rafael Matsumi.

  15. Camila Angelis

    Boa tarde! Sou escritora pela Multifoco e gostaria de saber qual é o prazo para que encontre o meu livro ” O Canto do Galo” nas livrarias Cultura e Travessa bem como quando conseguirei ver o registro dele no site do ISBN, pois até o presente momento não consigo.

    Muito Obrigada!

    Att

    Camila Rocha Manhani de Angelis

  16. André Gil

    Gostaria de saber como o autor pode ter o livro físico e digital e se o autor pode divulgar o livro ( degustação) em algumas plataformas, dentre elas a wattpad

  17. Victor

    Parabéns pela iniciativa. Vi algumas críticas aqui, que são verdadeiras, mas gostaria de parabenizar o trabalho da editora. Divulgar a obra de um autor desconhecido é um trabalho árduo, e a não ser que você tenha muito dinheiro e esteja disposto a levar muito prejuízo para divulgar em mídias tradicionais, a única solução é o marketing digital: produzir conteúdo e formar o seu próprio público, ou fazer parcerias com quem produz conteúdo na internet (no caso, pessoas que ainda não têm um alcance tão grande, mas que podem lhe ajudar a formar um pequeno público e crescer ele aos poucos).

    • Leonardo Simmer

      Olá Victor,

      Trabalhamos com um modelo que ainda está em desenvolvimento e certamente temos muito a melhorar. A principais ferramentas ainda não foram criadas ou otimizadas por nós para facilitar o trabalho dos autores. Este é um trabalho que requer investimento e tempo e é uma das prioridades da editora para o futuro.

      Abs

  18. Mariana Ramos Moraes

    Boa tarde,
    Só queria saber quanto tempo demora para responderem ao formulário. Diz que é 30 dias mas já se passaram mais que isso e nada. Sem querer parecer arrogante e tal, sei que são bem ocupados, mas não pude evitar. São 30 dias úteis? Outra dúvida: Vocês publicam livros de autores cujo ainda não tem 18 anos? É o meu caso. Já terminei o livro há algum tempo, está revisado totalmente, e estou atrás de editoras. Achei a Multifoco e gostei, mas estou muito ansiosa. Posso garantir que meu livro fará sucesso, já que já o obteve no Wattpad

  19. Victor Junior

    Olá, Leonardo.

    Antes de mais nada, parabéns à Multifoco pelo modelo de negócio. E também parabéns à você por não se furtar de responder com consistência todas as perguntas.

    Estou conversando com vocês para a publicação do meu livro de contos “Estórias que dariam bons filmes”, feito de argumentos e de roteiros de projetos de minisséries e curtas não produzidos.

    Depois de analisar e avaliar muitas propostas, a Multifoco se coloca como a bola da vez para minha primeira publicação.

    E como a primeira vez a gente nunca esquece, tem que ser gratificante. Vamos ver se dá certo.

    Grato

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *