Entrevista a Gabriela Barbosa

Gabriela Barbosa é autora de Eternamente ao seu lado e Um amor em vermelho e estará no estande da Multifoco na Bienal 2016.

Confira nossa programação.

 

Gabriela BarbosaComo se descobriu escritora?

Sempre gostei de escrever, mas era tímida e não mostrava para ninguém o que escrevia. O dia em que uma professora de redação da escola elogiou um texto meu fez toda a diferença. Esse elogio me fez realmente querer ser escritora e eu senti que tinha capacidade. Depois, com o apoio de amigos e família, isso só cresceu e eu me descobri de vez como escritora.

Qual a sua principal inspiração?

Minha inspiração vem de historias de amor que me contam, que leio, que assisto… Gosto de romance e por isso escrevo romance, então quando ouço ou leio sobre isso acabo me inspirando.

Sua profissão ou o lugar de onde veio tiveram alguma influência em seus temas e em seu modo de escrever?

Como sou professora, formada em Letras e Pedagogia, posso dizer que me influencia, sim. O fato de sempre ter gostado de ler também influencia muito, pois eu acabo me inspirando em autores que leio também. Os contos de fadas, paixão que tenho desde a infância, da mesma forma, me influenciam bastante.

Quais as suas principais referências literárias?

Machado de Assis, Drummond, Paula Pimenta, Ziraldo e J. K. Rowling.

Qual o livro mais marcante que já leu e por qual razão o considera tão importante?

Tenho que citar dois. O primeiro é O pequeno príncipe, que me fez entrar no mundo da literatura de vez. Eu já gostava de ler por causa dos contos de fada, mas quando li esse livro me apaixonei de vez e quis ler mais e mais. O segundo é Harry Potter, pelo fato de que passei minha adolescência com ele. Eu cresci esperando os lançamentos dos livros e filmes, além de a história também ter me formado como leitora e escritora.

Como funciona o seu processo criativo, como cria seus personagens e histórias?

Eu normalmente tenho ideias aleatórias e começo a escrever. Anoto tudo para não esquecer e perder a ideia. A história se constrói no decorrer da escrita, não faço roteiro. Apenas deixo as ideias virem. A criação dos personagens acontece da mesma forma: à medida que escrevo a história. Ela sempre parte da criação do casal principal, já que escrevo romances, depois os secundários vão se formando. Às vezes, um que era o “mocinho” se torna o “vilão”, por exemplo, por uma ideia que tive no meio do caminho. E tudo acontece enquanto vou escrevendo.

Em que se tornar uma contadora de histórias modificou a sua vida?

Quando eu leio sempre tenho grandes sentimentos, me envolvo bastante com a história e elas normalmente me marcam de alguma forma. Contar a minha história modificou a minha vida pelo fato de que agora eu tenho a possibilidade de pelo menos tentar fazer alguém sentir o que eu sinto ao ler. Além disso, posso marcar, quem sabe, a vida deles como os livros que li marcaram a minha e marcam até hoje.

Conversa com alguém sobre o livro no decorrer da escrita ou prefere resolver sozinha todos os problemas surgidos durante o processo?

Tenho “leitores beta” que leem no decorrer da escrita, isso é muito bom! Tenho sempre um feedback deles, o que ajuda na construção da história.

 O advento da internet facilita ou atrapalha o ingresso na literatura, tanto de novos leitores quanto de novos escritores?

Creio que tem dois lados nessa situação. O primeiro é que, infelizmente, muitos preferem ficar no computador a ler, de modo que a internet dificulta o processo. Mas o segundo ponto é que a internet facilitou o acesso às obras e inclusive o contato com os autores, o que é excelente para os novos escritores! Eu mesma conheci muitas obras excelentes pela internet e as li.

Em sua opinião, qual a maior dificuldade em ser escritor no Brasil?

É encontrar espaço no mercado editorial. Agradeço muito à Editora Multifoco por ter apostado em meu trabalho e me recebido tão bem, pois hoje em dia achar uma “casa” para os livros não tem sido uma tarefa fácil.

Alguma dica para quem está pretendendo se lançar na carreira literária?

A primeira, que pra mim é essencial, é: leia bastante! Assim você descobre o estilo literário com o qual vai gostar de trabalhar na escrita. Autores que você gosta podem te ajudar bastante na criação de sua obra. Outra dica: nunca desista! Seus sonhos só se realizam se você correr atrás! Não deixe ninguém te desanimar.

Quais os planos para o futuro?

Tenho planos de seguir publicando minhas histórias. Estou com dois livros em andamento e pretendo em breve compartilhá-los com vocês.