Entrevista a Victor R. Valdes

Victor R. Valdes é autor de Fata Morgana e estará no estande da Multifoco na Bienal 2016.

Confira nossa programação.

 

Victor R. ValdesComo se descobriu escritor?

Eu escrevo desde criança. Pequenas estórias, contos, mas foi em 2015 que decidi escrever para valer.

Qual é a sua principal inspiração?

Acho que tudo ao meu redor, as pessoas, o cotidiano e a cidade aonde vivo.

Sua profissão ou o lugar de onde veio tiveram alguma influência em seus temas e em seu modo de escrever?

Acredito que a minha profissão não me influenciou, mas os lugares aonde vivi, sim.

Quais são as suas principais referências literárias?

Tenho como grandes referências literárias autores como J.R.R Tolkien, Stephen King, Carlos Ruiz Zafon, Monteiro Lobato, entre vários outros.

Qual é o livro mais marcante que já leu e por qual razão o considera tão importante?

O livro mais marcante que li não é tão antigo, mas mudou muito minha vida: A Sombra do Vento, de Carlos Ruiz Zafon. Foi ao ler esse livro que percebi que realmente queria ser escritor.

Como funciona o seu processo criativo? Como cria seus personagens e histórias?

Eu penso em como será toda a história antes de escrevê-la. Então vou moldando os personagens, imaginando os trejeitos de cada um. Após isso eu não escrevo obrigatoriamente em uma ordem cronológica, termino uma parte, guardo, e depois vou montando a história.

Em que se tornar um contador de histórias modificou a sua vida?

Por enquanto não muita coisa. Acredito que apenas expandiu mais minha mente, já que passei a ler muito mais, para ter conteúdo em minhas histórias. 

Conversa com alguém sobre o livro no decorrer da escrita ou prefere resolver sozinho todos os problemas surgidos durante o processo?

Eu converso com minha namorada Isabele. Mostro o que eu escrevi no dia, vejo como ela reage, e sempre estou aberto as suas sugestões. 

O advento da internet facilita ou atrapalha o ingresso de novos leitores e novos escritores na literatura?

Acredito que a internet é uma ferramenta poderosa que contribui muito para a literatura. Existem muitos fóruns de discussões literárias, uma hora ou outra a pessoa tropeça nessas páginas e acaba se interessando pela leitura.

Na sua opinião, qual a maior dificuldade em ser escritor no Brasil?

Acredito que a maior dificuldade hoje é chegar ao mercado literário.

Alguma dica para quem está pretendendo se lançar na carreira literária?

Escrever e escrever. Se você tem uma ideia que acha que vai ser boa, coloque-a no papel. Você nunca vai saber se sua ideia funciona como uma história se você não a escrever e perder a vergonha de mostrar para alguém. Após isso é só alegria.

Quais são os seus planos para o futuro?

Pretendo continuar escrevendo. Atualmente eu estou desenvolvendo a continuação do meu primeiro romance e também trabalho em outros projetos, em parceria com um amigo desenhista. Espero um dia ter a carreira literária como minha carreira principal.