LIVRO

Depois dos vinte, prometo escrever o romance e me chamar Machado de Azevedo (in obras incompletas)

R$35,00

  • Autor
    Paulo Emílio Azevedo e seus heterônimos
  • ISBN
    978-85-5996-728-9
  • Ano
    2017
  • Páginas
    88
  • Gênero
    Poesia, Prosa
  • Selo
    Multifoco

Descrição

Publicadas separadamente em quatro partes, as narrativas que compõem este volume tratam não apenas da identidade, mas sobretudo da alteridade daquele que é um dos poetas mais versáteis de sua geração. Sob a forma de diversos gêneros literários, passando com desenvoltura das crônicas aos contos, e dos poemas aos trechos de diário, Paulo Emílio Azevedo compõe o retrato improvável dos anos de aprendizagem e formação do homem, do pai e do escritor, estendendo-se desde a infância reinventada até as desventuras da idade adulta.

Em busca da própria imagem, para assim poder talvez enxergar melhor o outro, tudo o que o artista pode nos oferecer são reflexos – de um poeta que flana pela cidade como se fosse João do Rio ou Rimbaud pela Abissínia; de uma criança desamparada que faria Dickens chorar; de um bêbado lírico que podia ser o próprio Bukowski; de uma
menino prodígio que não é o Robin; de uma Lolita que traz nos quadris a remissão para os pecados do mundo; enfim, do flerte com os marginalizados de toda estirpe que habitam os desvãos sem-fins da cidade. Entretanto, por mais que o artista utilize um método inaudito elaborado no abrigo do seu ateliê, sua imagem – os psicanalistas
diriam seu Eu – não se deixa nunca capturar. Por mais que se aproxime dela, tal Narciso a contemplar o próprio rosto no fundo do lago, o que ele sempre vê é o rosto do outro, não a si mesmo. Mas, é justamente com esses
fragmentos de vida que Paulo Emílio vai recompondo a própria existência.

Com uma voz única na cena brasileira contemporânea, o artista – chamá-lo de cronista, poeta ou contista seria redutor – expõe um autorretrato de tintas expressionistas, em que vemos desenhados não somente a infância, o amor, o sexo, a miséria humana e a morte, mas, antes, nossas próprias e imperfeitas figuras. Ao olhar para
dentro de si mesmo, Paulo Emílio Azevedo nos permitiu ver melhor quem realmente somos e a descobrir aquilo que secretamente nos une. E, assim fazendo, talvez tenha nos reconciliado com o mundo.

Tiago Franco

IDEAS FACTORY,  parceiros argentinos da Multifoco, são desenvolvedores word press de primeira linha, com trabalhos realizados na Argentina, Brasil, Estados Unidos e Inglaterra.