LIVRO

Governo das multidões: população e poder em Michel Foucault

R$50,00

Disponível por encomenda

  • Autor
    Eduardo S. Migowski
  • ISBN
    978-85-5996-719-7
  • Ano
    2017
  • Páginas
    202
  • Gênero
    Acadêmico
  • Selo
    Luminária

Descrição

Em 2004 estreou nos cinemas o filme Edukadores. Nele, três jovens de esquerda sequestram um rico empresário. Para eles, este sujeito representaria todos os vícios da globalização: ganância, individualismo, busca incessante do lucro etc. Num determinado momento da trama, porém, os garotos percebem que o homem já fora parecido com eles: “não concordo com o que estão fazendo, mas vocês lembram a minha juventude”, afirmou. O choque de gerações tem um sentido histórico. Nos anos 1960, multidões foram às ruas ao redor do mundo. Os motivos alegados eram díspares: questionavam o modelo educacional, queriam a liberdade sexual, a paz, o fim das ditaduras etc. Explodiam os movimentos de contracultura. Praticamente tudo era passível de crítica. O mundo nunca mais seria o mesmo, pensavam. Contudo, não foi o que ocorreu. Pouco tempo depois, uma nova onda conservadora varreu as utopias. O jovem revolucionário virou o empresário capitalista. O mundo em que tudo era possível virou o espaço onde “não havia alternativa”. O acrônimo TINA (There is no alternative) foi a marca desta nova realidade. Como isso ocorreu? A resposta não é simples. Esse estudo nasceu de um questionamento dessa natureza.