LIVRO

Tradições e modernidades nos tempos do choro: A historiografia de um gênero musical popular urbano carioca e seus espaços de atuação

R$60,00

Disponível por encomenda

  • Autor
    Leonardo Santana da Silva
  • ISBN
    9788582737439
  • Ano
    2019
  • Páginas
    420
  • Gênero
    Acadêmico
  • Selo
    Multifoco

Descrição

A presente obra objetiva trazer para o epicentro de discussão aquilo que o seu próprio tema define enquanto objeto de pesquisa. Trata-se, portanto, de uma minuciosa análise, do ponto de vista teórico-metodológico, no tocante as fontes e a historiografia do choro enquanto um gênero musical popular urbano carioca e seus espaços de atuação em um contexto geral, cujo seu recorte espaço-temporal, num primeiro momento, encontra-se diante de um período imperial brasileiro pré-fonográfico e posteriormente passando a ser analisada uma produção musical do período republicano pós-fonográfico.
A cidade carioca no final do século XIX e nas primeiras décadas do século XX vivenciou um crescimento populacional bastante exorbitante entre os anos de 1890 e 1920. O Rio de Janeiro também assistiu a um desenvolvimento modernizante de sua cidade com as chamadas reformas urbanísticas, havendo, portanto, um crescimento de sua economia devido a sua crescente população e um desenvolvimento em seu setor cultural, sobretudo no âmbito do entretenimento associado às novas tecnologias que se tornara sinônimo de avanço, progresso e diversão. Assim sendo, as várias modalidades de divertimentos surgidas ao longo de todo esse processo que envolvia entretenimento e tecnologia na cidade do Rio de Janeiro, podemos destacar a presença de cafés-concertos, cafés-cantantes, bandas musicais, teatros musicados, casas de chopes (ou chopes-berrantes como também eram conhecidas estas casas), os teatros populares, o cinematógrafo, o fonógrafo e as gravações fonográficas como alguns dos exemplos que transformaram a cidade carioca em local com muitas alternativas de diversões e, ao mesmo tempo, como forma de abertura de espaço para um ambiente propício as múltiplas trocas no sentido econômico, social e cultural.